Entrevistando o autor - Jairo Sarfati


  
O jovem e talentoso escritor Jairo Junior Sarfati, uma das mais novas apostas do mercado literário, me concedeu uma rápida entrevista que vou postar aqui; o autor do livro "Diário Póstumo de Charlotteque já foi tema de postagem aqui no blog respondeu algumas perguntas sobre ele, seu livro, o mercado editorial e ainda deixou uma dica para quem deseja começar a escrever. Além disso o autor mantém uma página do seu livro no facebook que vale conferir e curtir.
Mas, e ai, vamos à entrevista?



  1. Quando você começou a escrever? E por quê?                                           Eu comecei a escrever com 16 anos. Escrevia poemas e pequenas peças no meu blog. Sempre pensei que eu não era bom em nada. Sério, eu pensava não ter talento. E isso me deixava triste, e então acabei começando a escrever para aliviar isso. Mas eu não cogitava que escrever fosse um talento. Então o blog começou a ter leitores e todos diziam que eu tinha talento. E então eu achei meu lugar no universo, algo que eu sou bom!
  2. Quem mais te incentivou a ser escritor?                                                  Meus amigos, em especial o Guilherme e o Hideki. Eles me incentivavam demais, e não me deixavam desistir quando de fato eu pensava em desistir.
  3. Quais são os autores(as) que mais te inspiram?                                                                                                      Atualmente, tem Cassandra Clare, Rick Riordan e Carolina Munhóz. Eles me inspiram demais.
  4. Qual foi o livro que ajudou para você viver o mundo literário?                                                                               O Pequeno Príncipe foi o livro que me fez AMAR ler. Harry Potter confirmou minha paixão, e depois eu fui devorando livros e mais livros. Hoje leio de tudo.
  5. Em qual obra você se baseou para escrever seu livro?                                                                                          A hospedeira da Stephenie Meyer foi minha maior inspiração. A forma como a alma fala com o corpo. Era incrível, recomendo a leitura.
  6. Aposto que para chegar aonde você chegou, precisou vencer muitas barreiras. Qual foi a sua maior dificuldade, quando se determinou a escrever o seu próprio livro?                                                                                                      Eu precisei vencer muitas barreiras de fato. Como, a minha incerteza e insegurança de conseguir ou não manter uma narrativa durante todo o livro. E eu venci essa barreira, acabei me redescobrindo no meio da escrita e crescendo, como pessoa e como profissional. Charlotte foi meu maior desafio e hoje sou feliz com o resultado, pois de fato venci o desafio.
  7. Fale um pouco da emoção de ver sua obra nas mãos dos leitores. De sua história sendo discutida, apreciada ou até mesmo criticada.                                                                                                                                                  É uma sensação maravilhosa, não tem outra palavra para descrever. Cada carta, e-mail ou depoimento em relação ao livro é gratificante e me faz querer escrever mais. Essa é minha maior inspiração;
  8. Quantos livros você já escreveu? E quantos já publicou?                                                                                     Escrevi 4, publiquei um e outro estou postando aos poucos como fanfic original.
  9. Há algum tema específico sobre o qual você goste de escrever?                                                                      Gosto de escrever sobre problemas que assolam os adolescentes, como falta de autoestima, bullying, etc. Já que eles são meu público, eu quero me sentir ajudando-os. Fazendo meu papel. Como uma vez recebi uma carta dizendo que a pessoa havia se sentindo entendida ao me ler, quando ninguém mais no mundo entendia ela. E isso é gratificante.
  10. Fale um pouco sobre seu livro? Do que se trata?                                                                                                 Diário póstumo de Charlotte fala basicamente de uma menina com vários problemas de autoestima, ocasionados pelo Bullying que ela sofre na escola. Sendo pobre e bolsista, ela sempre é motivo de chacota. Acontece que certo dia ela faz seu primeiro amigo, mas com o tempo ela descobre que não o quer apenas como amigo. Ela acaba se apaixonando.Mas algo interrompe seu destino e ela morre, mas reencarna em outro corpo, pois tem uma missão... Qual seria a missão dela?
  11. Como é o seu processo criativo?                                                                                                                         Primeiro eu esboço todo o livro. A história principal. Depois esboço capítulo por capítulo, determinando o que acontecerá em cada capítulo, etc. Depois escrevo toda a história. Leio e fecho as lacunas.
  12. Você pretende seguir a carreira de escritor?                                                                                                       Sim, sim e siiiim. É meu sonho. Desde criança eu sempre quis fazer arte. E eu faço arte escrevendo. Então, o Jairinho da infância teria orgulho do Jairo de hoje. É aquela coisa: O que você quer ser quando crescer? E então, eu sou o que eu queria ser.
  13. Qual o seu lugar favorito pra escrever?                                                                                                          Gosto de lugares calmos, com pouco barulho. Bem arejado. São em lugares assim que eu gosto de escrever.
  14. Quando você escreve, já sabe qual será o desfecho da trama ou a história dita às regras e conduz você?             Como eu disse antes, eu esboço. Mas o esboço nunca é seguido à risca. Às vezes meus personagens tomam vida. E eles são tão teimosos quanto este que vos escreve. Então eles ditam a história.
  15. Que livros estão na sua lista de preferidos?                                                                                                          O Pequeno Príncipe; Menino de Asas; O inverno das fadas; A hospedeira; Cidade de Vidro.
  16. Qual seu estilo de leitura preferido?                                                                                                                      Adoro o gênero fantasia. Mas com narração feita na passado simples, e não no presente simples. Eu não consigo me entreter com presente simples. Mas eu basicamente leio de tudo.  
  17. Você acha que é certo julgar um livro pela capa?                                                                                                 Nãão! Livro são iguais pessoas, você deve conhecê-las antes de julgá-las.
  18. Como você vê o mercado editorial brasileiro hoje?                                                                                               Está crescendo mais e mais e os brasileiros estão gostando e fato de ler. E não é mais uma literatura internacional, mas agora temos nossos best-sellers nacionais. Nossa literatura não está mais “antiga” como os jovens a veem, etc. Está uma literatura moderna, feita de jovens para jovens.
  19. Na sua visão, qual é a principal virtude de um escritor?                                                                                      Paciência. Essa deve ser a nossa maior virtude. Além de criatividade e fé. Temos de ser pacientes com nossos trabalhos, não devemos apressar. Devemos fazer nossa criatividade funcionar e termos fé em nosso trabalho.
  20. Que dica você pode deixar para quem deseja escrever?                                                                                     Acredite em seus sonhos. Se você quer, faça. Se você quer ser escritor. Seja. Não sonhe que é, seja. Essa é a frase que eu deixo. Você é do tamanho dos seus sonhos.><



  Amei a entrevista com o Jairo, as respostas dele, a sinceridade, a simplicidade... ele super fofo cedendo isso pra gente. E olha, ainda tem livro novo pra ser lançado! '0'  Bom, agora é ficar de olho nesse mocinho, que pelo jeito, vai ser um grande escritor! Tudo de bom e meus parabéns, Jairo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...